Sobres "ismos" e outras coisas mais...

O sufixo “ismo”, como todos sabem denota doutrinas, sistemas religiosos, filosóficos, artísticos, políticos, científicos etc. Por exemplo: calvinismo, bramanismo, budismo, materialismo, espiritismo, socialismo, capitalismo, federalismo, gongorismo, simbolismo, modernismo, impressionismo, criacionismo, darwinismo, evolucionismo, tedeísmo, mendelismo, lamarckismo, pontualismo, entre outros.

Os mais alvoroçados devotos de Darwin costumam implicar com o uso desse sufixo, alegando que é besteira falar em “darwinismo” ou “evolucionismo”, uma vez que ninguém diz “gravitacionismo”, “
terra-redondismo" e outras asneiras de igual teor. Alguns até chegam a acusar os criacionistas de usarem tais termos numa tentativa de desqualificar a teoria evolutiva como lídima ciência. A velha mania de perseguição.

Bom. Segundo o Dicionário Oxford de Filosofia, o termo
evolucionismo, por exemplo, significa: “Doutrina desacreditada do final do século XIX, e início do século XX que associa as mudanças evolutivas a uma concepção progressiva da mudança social, a atitudes positivas perante a competição e a guerra e à justificação das desigualdades de poder” (p. 132). Já para o Dicionário de Filosofia da Loyola: O termo 'evolucionismo' pode ser tomado em um sentido relativamente amplo para designar o lamarckismo, o darwinismo, assim como sistemas filosóficos do tipo de Spencer , ao qual Darwin também se referiu no mencionado "esboço histórico”.

Certa feita, num desses banais debates de Internet, um darwinista me saiu com essa:
“Darwinismo é o modo como a Evolução se processa. Ou seja, por seleção natural (que foi a grande proposta de Darwin). Evolução, os cientistas já sabem que acontece muito antes de Darwin. Lamarck foi uma prova disso. Porém, não só de Seleção Natural vive a Evolução. O Dr. Kimura contestou o darwinismo, não a Evolução. Eldredge e Gould contestaram o darwinismo, não a Evolução. Inclusive Behe contestou o darwinismo, não a Evolução.” O problema com este tipo de argumento recai sobre a confusão que se faz entre a Teoria da Evolução com a “evolução” em si. Acreditar que os seres vivos mudaram ao longo do tempo, não pode ser tomado como sinônimo de acreditar que ela (a evolução) tenha ocorrido da maneira como dizem por aí os defensores da teoria evolucionista.

Quanto ao emprego do
termo criacionismo, até o fim do século XIX não parece ter sido comum o seu uso, embora pelo que me consta, Darwin foi um dos que primeiro se utilizou dele. Alguns críticos afirmam que o movimento criacionista ("Young-Earth Creationism") teve sua origem nas décadas de 1950 e 1960, como conseqüência da influência das obras do geólogo George Mac Cready Price, o qual escreveu muitos livros criticando o evolucionismo, de 1902 até 1941. Outros afirmam que o “ismo” de criacionismo se justifica devido sua adoção por grupos de pressão política, como a Maioria Moral, nos Estados Unidos. Segundo o professor Eduardo Lütz (da UFRGS), os cientistas criacionistas mais conhecidos foram: Newton, Maxwell, Hamilton e Einstein. Ele acrescenta ainda: Kepler, Pascal, Leibnitz, Davy, Faraday, Ramsay entre outros. Lembrando também que o mesmo termo “criacionismo” designou outrora um movimento vanguardista personalizado por Vicente Huidobro, e instituído pelo manifesto Non Serviam.

É isso!

Um comentário:

  1. Creacionismo, invento darwinista

    Evolución darwinista= Confusionismo

    ResponderExcluir