"Simiofilia"

"Simiofilia" (símio + philos) não consta no “Aurélio, não aparece no moderno “Houaiss” nem faz parte do dicionário inFormal on-line. Trata-se de um neologismo que eu mesmo inventei e com o qual faço menção ligeiramente da “tara ideológica” que certa vertente darwinista nutre pelas muitas variedades de macacos.

Sim, não há a menor dúvida de que, entre todos os bichos, o macaco é o que morfologicamente mais se assemelha ao homem. Mas, desde quando semelhança morfológica é indício seguro de ancestralidade comum ?

- Ah, alguém poderia indagar: - E a semelhança genética, não conta?

Conta, mas...

Waht does it mean to be 75% pumpkin?
O que significa ser 75% igual a uma abóbora?

Ou, como diria o professor Steven Jones: o fato de uma banana apresentar 50% de genes idênticos aos humanos faz dela 50% humanas?

Ademais, já faz tempo que a velha ladainha de 99% de semelhança genômica entre chimpanzés e humanos se transformou num belíssimo mito (“
The Myth of 1%”).

O que resta à galera de Darwin?

Resta a “simiofilia”, como se pode notar em notícias como esta:

“Eles também alegam que os chimpanzés dividem 99,4% dos genes humanos e fazem parte da família biológica dos “homos”, que poderiam ser considerados “pessoas”.

É isso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário