Como se converter ao darwinismo ((rs))

Em uma de suas cartas a Alfred Wallace, de 6 de abril de 1859 (publicada em português pela Editora Unesp), Darwin muito otimista (o "A Origem das Espécies" fora publicado neste referido ano) anseia por converter muita gente da ciência à sua doutrina. Escreve ele:

Não sei se cheguei a dizer-vos que Hooker, que é nosso melhor Botânico britânico e tal­vez o melhor do mundo, está plenamente convertido, e pretende agora divulgar de imediato sua profissão de Fé; e estou aguardando, dia após dia, o recebimento das provas.— Huxley mudou e (agora) acredita na mutação das espécies: se está convertido a nós, não sei muito bem.— Haveremos de viver para ver convertidos todos os homens mais jovens. Meu vizinho, J. Lubbock, um excelente na­turalista, é um convertido entusiástico.

Diante disso, andei pensando com botões sobre quais passos seriam realmente necessários para que alguém embrenhe-se de corpo e alma no maravilhoso mundo de Darwin, e assim convertido poder levar adiante a preciosa semente da "evolução". Ei-los:

1 - Confessar publicamente que Darwin é o maior cientista de todos os tempos, aquele que concebeu ao mundo a idéia mais incrível, mais espetacular e mais importante de toda a história da humanidade: a Seleção Natural.

2 - Crer de coração que a Seleção Natural guiou todo o processo evolutivo desde os primórdios da vida, conduzindo uma abjeta ameba ao ápice da grandiosidade: o homem.

3 - Acreditar que mutações aleatórias, acumuladas durante milhões de anos, foram capazes de produzir a enorme variedade de seres vivos ao redor do planeta.

4 - Não duvidar jamais que os mecanismos evolutivos, todos eles trabalhando cega e gradualmente, foram suficientes para gerar máquinas biológicas, como os cílios, o flagelo, a coagulação do sangue, o sistema imunológico, o olho entre outras.

5 - Ter como verdadeiro que a macroevolução explica direitinho a diferença entre uma sardinha e um homem, e que esta intensa mudança evolutiva pode ser perfeitamente explicada como sendo o resultado de alterações microevolutivas.

6 - Não hesitar em crer na perfeita inter-relação entre vírus, bactérias, plantas e animais.

7 - Nunca por em por em dúvida que a abiogênese aconteceu uma vez durante a história da vida.

8 - Julgar como correto que peixes, répteis, aves e mamíferos tiveram origem ancestral comum.

9 - Em hipótese alguma admitir que outras teorias científicas ofereçam alternativas ao conceito de evolução.

10 - Por fim, jamais confessar sequer uma falha na Teoria da Evolução.

Seguindo portanto esses passos, você finalmente estará apto para militar e defender a fé darwinista, como alguém verdadeiramente convertido aos ideais de Darwin. ((rs))

É isso!

Um comentário:

  1. Esqueceu o 11º: "Saber de onde veio e para onde vai... Da ameba viestes, à ameba voltarás!"

    ResponderExcluir